15/05/2024 às 15h20min - Atualizada em 15/05/2024 às 15h20min

Cheia histórica atingiu mais da metade dos bairros de Porto Alegre e afetou 157 mil moradores, diz levantamento da prefeitura

População das regiões do Sarandi, Menino Deus e Farrapos são as mais atingidas, segundo mapeamento.



 

As enchentes que castigaram o Rio Grande do Sul entre o fim de abril e a primeira quinzena de maio atingiram mais da metade dos bairros de Porto Alegre e afetaram 157 mil moradores da Capital. Os dados foram compilados a partir de um levantamento da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Urbanismo e Sustentabilidade (Smamus).

Os bairros mais afetados estão localizados próximos à orla do Guaíba, na Zona Sul, ou no limite de cidades vizinhas e que foram castigadas pelas inundações, na Zona Norte. Também há registros de transtornos aos moradores da região central. Segundo atualização da manhã desta quarta-feira (15), 13,8 mil pessoas estão em abrigos.

De acordo com o mapeamento da prefeitura, as populações dos bairros SarandiMenino Deus e Farrapos são as que registram o maior número de atingidos. O relatório levou em consideração o pico de 5,35 m que o lago Guaíba atingiu.

O painel também traz dados sobre edificações atingidas. São 160 escolas que sofreram algum transtorno, como alagamentos ou danos na estrutura . Outras 22 unidades de saúdedois hospitaistrês farmácias populares e quatro clínicas da família também registraram prejuízos com o avanço das águas.

Outros pontos tradicionais de Porto Alegre também registraram alagamentos, como a prefeitura, a rodoviária, o Mercado Público, a Arena do Grêmio e o Estádio Beira-Rio.

O Instituto de Pesquisas Hidráulicas (IPH) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) sinaliza que o Guaíba atingiu o nível máximo de 5,25 metros na terça-feira (14) e que a tendência é que, agora, ele baixe – de forma lenta e gradual.

Corredor humanitário

 

O corredor humanitário, construído de forma emergencial para acesso alternativo à Capital, está sendo ampliado em 300 metros do outro lado da pista, na região da rodoviária da cidade. A ampliação vai permitir com que veículos de emergência circulem tanto para ingressar quanto para sair do Centro Histórico com maior facilidade. Atualmente, os dois sentidos funcionam na mesma pista.

Desde que começou a operar, na sexta-feira (10), o trecho registra tráfego médio de 100 veículos por hora. O caminho foi estruturado para agilizar o abastecimento dos serviços essenciais da cidade, como oxigênio, água, alimentos e equipamentos de emergência. O trajeto liga a área central de Porto Alegre, pelo Túnel da Conceição, à Avenida Castelo Branco e à BR-290 (Freeway).


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://wechannel.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp