25/10/2023 às 14h00min - Atualizada em 25/10/2023 às 14h00min

Espetáculo dos 20 anos da Escola Municipal de Artes terá três sessões

O Incrível e Fabuloso Destino de Êmart - A Criação de Maria' será apresentado em 2, 3 e 4 de novembro


Completando 20 anos, a Escola Municipal de Artes Maria José Guedes (Emart), vinculada à Secretaria de Cultura de Macaé, apresentará o espetáculo 'O Incrível e Fabuloso Destino de Êmart - A Criação de Maria', nos próximos dias 2 de novembro, 3 (sexta-feira) e 4 (sábado), às 20h, no Centro Cultural Rinha das Artes, Centro da cidade, com ingressos gratuitos.

 

 

O espetáculo é o trabalho de conclusão do Curso Técnico em Teatro da Emart de três turmas, de 2019, 2020 e 2021, desenvolvido durante a disciplina Prática de Montagem. A apresentação atende à grade curricular ampliada e reformulada da escola técnica, aprovada pelo Ministério da Educação e pelo Conselho Municipal de Educação.

Por isso, a peça de teatro musicado comemorativa dos 20 anos da Emart será a formatura de 17 estudantes. Também integram o elenco professores da escola, alunos do Curso Técnico de Música da Emart, bailarinos do CiemH2 e ex-alunos da Escola Municipal de Dança (EMDança). Fora isso, o cenário conta com uma tela que retrata Maria José Guedes, do professor do Curso de Pintura da escola, Vagner Cerqueira. Um dos projetos culturais da Emart é agregar várias vertentes artísticas e membros de outros pontos de cultura da cidade.

"São 20 anos de dedicação e paixão pelo teatro na Emart, culminando neste espetáculo de formatura. Os formandos representam o futuro brilhante da arte cênica em nossa cidade. Convido a sociedade a se unir a nós para prestigiar este marco", frisa o Secretário de Cultura, Leandro Mussi.

O espetáculo inclui cenas adaptadas de nove produções anteriormente apresentados por alunos da instituição. Essa é uma forma de homenagear ex-alunos e profissionais da escola. Na peça, a Emart se torna uma personagem, assim como a patrona, Maria José Guedes. Segundo Cláudia Byspo, diretora da escola, da peça e que assina o texto com o professor e dramaturgo Ademir Martins, a referência humanizada da instituição inspirou a criação de Emart como um ser humano.

"Um ser caloroso, que recebe, comunga, aprende e troca experiências com as pessoas (...) A Emart é um lugar de importância ímpar para seus alunos, que apostam suas vidas vindo para ela (...) Este espetáculo é também um trabalho de resgate de histórias que as pessoas não conhecem, como a da instituição e de Maria José Guedes, que ensinou possibilidades artísticas para Macaé", diz a diretora.

Para o espetáculo, a escola desenvolveu um trabalho para resgate de patrimônio e história, principalmente voltado para Maria José Guedes. Esta pesquisa recebeu o apoio de uma das fundadoras da Emart, Teresinha Vasconcelos, e da filha da patrona, Catarina Guedes. O texto foi elaborado a partir de estímulos aos atores através de jogos cênicos. Assim, o espetáculo foi construído como uma obra de Dramaturgia Aberta. Ele é composto por dois atos, separados por um intervalo de 15 minutos, perfazendo um total de duas horas e meia.

Claudia explica que o discurso da obra pretende a apresentação da escola e o metateatro (falar da arte dentro da arte), a fim de provocar o sentimento de pertencimento do público em geral à arte. Fora isso, aborda temas político-sociais e humanos.

A atriz e professora Cláudia Byspo dirigiu "Senhora dos Afogados" (2018-Técnico); "Mandela’ e ‘Diversos", do Pré-Técnico; além dos musicais, juntamente com o atual coordenador do Curso Técnico em Teatro da Emart, Jardel Maia, "Encantos de Holanda", "Disney" e "Cinema Musical". Ela também recebeu pela Escola de Artes, este ano, o prêmio Heloneida Studart da Alerj.

"Esse é um reconhecimento que as produções do interior do estado têm a mesma qualidade que as da capital. Além disso, parte do elenco que encenou o último espetáculo da Paixão de Cristo foi formada por ex-alunos da Emart. Isso é uma grande vitória. A Emart abarca pessoas de Macaé e de toda a região, por isso precisa se tornar uma referência, com conteúdo programático aprofundado e compatível com o mercado, com ações pedagógicas que contemplem a integração entre educação e cultura e também com gestão planejada. É necessário levar em conta que a Emart é um potencial inibidor de vulnerabilidade social", enfatiza.

Jardel Maia frisa que o espetáculo é um Teatro Musicado, quando a música é utilizada para reforçar algumas cenas. O texto inclui letras de músicas criadas por ele, Cláudia e Ademir para o show. Jardel é o responsável pela Direção Musical e pela composição de arranjos, de acordo com a intenção da cena, além da preparação vocal dos atores. O coordenador criou mais de 10 guias musicais (playbacks com marcações), interferências de sonoplastia e jingles, gravados em estúdio. O espetáculo conta com mais de 10 atores que também cantam, além dos que interpretam utilizando sotaques.

Em março deste ano, a disciplina Técnica Vocal foi incluída no currículo do curso Técnico em Teatro. O aprendizado adquirido foi aplicado e aprimorado durante a montagem. Jardel salienta que todo o processo é bastante didático. "Os alunos precisam entender as funções de diversos profissionais, para fazer a integração desta arte".

Ele também comentou sobre um coro em cena, formado por cerca de 15 pessoas, incluindo alunos do Curso Técnico de Música. "Será um diferencial deste espetáculo. O trabalho com o Ensemble Entretom começou em novembro do ano passado e vai ser a primeira vez que o grupo vocal participa de uma montagem teatral (...) É um trabalho também com os alunos de Música. Será uma performance que contará para o currículo artístico deles e oferece uma vivência plural", completa o professor.

Confira o programa de 'O Incrível e Fabuloso Destino de Êmart - A Criação de Maria'

Curso Técnico em Teatro

De acordo com a diretora da Emart, a metodologia de ensino do Curso Técnico de Teatro é formar um ator que seja gestor da própria arte e apto para o mercado. Para a disciplina de Prática de Montagem, são formadas comissões, como figurino, cenário, produção e financeiro. Mais que isso, os estudantes são incluídos em ações que envolvem a relação com instituições públicas e com os técnicos necessários ao espetáculo.

As três turmas de formandos são compostas por alunos que, em sua maioria, passaram por estudo online, devido ao período da pandemia de Covid-19. O processo de produção da peça teve início em fevereiro. Um dos motivos dele ter sido longo foi a defasagem acarretada pelo período de isolamento social. Foi necessário que os alunos se aprofundassem em estudos presenciais para a elaboração da peça de formatura.

Estas turmas são compostas tanto por quem já atua profissionalmente, até em grandes produções, quanto por aqueles que vão pisar em um palco com estrutura profissional pela primeira vez. São pessoas de 20 a mais de 60 anos de idade. Segundo a direção, esta diversidade enriquece o elenco. Isso é tratado em uma das cenas, em que os personagens têm os nomes dos atores.



Ficha Técnica

Direção: Cláudia Byspo

Assistente de Direção: Cássia Gomes

Preparação de elenco: Ademir Martins e Cláudia Byspo

Coreografias: Cláudia Byspo e Luize Pessanha

Direção Musical, Arranjos e Preparação Vocal: Jardel Maia

Produção Musical: Leonardo Passos

Letras Musicais: Jardel Maia, Ademir Martins e Cláudia Byspo

Designer de Luz: Bruno Caverninha

Figurino: Lucia Reis

Maquiagem: Tatta Rodrigues

Adereços: Criação Coletiva

Bonequeiro: Leandro Triervailer

Pintura de Quadro: Vagner Cerqueira

Sonoplastia: Cláudia Byspo

Produção Artística: Thiago Nacis, Mariana Adolpho, Luara Chaves


Elenco

Isis Nascimento – Maria José Guedes

Fabricio Bazan – Êmart

Thiago Nacis – Artevido

Paulo Henrique – Dramaturgo

Luize Pessanha – Maria Bailarina

Vitória Aissa – Erêndira, Mulher do Cais e Clown

Felipe Eliakim – Avó de Erêndira, Político e Misael Drummond

Gabriel Guerhart – Pai de Maria, Woyzeck, Zé Ninguém, Político e Clown

Luara Chaves – Tia, Mulher do Cais e Clown

Giselle Souza – Tia, Artista Companheiro e Clown

Cássia Gomes – Tia e Militar

Lucas Antônio – Artista Companheiro e Clown

Calebe Matos – Artista Companheiro e Clown

Clara Castro – Artista Companheiro e Clown

Meg Marques – Artista Companheiro e Clown

Camis Monti – Prostituta e Clown

Taize Joventino – Vento, Plateia e Clown

Mariana Adolpho – Vento, Mulher do Cais e Clown

Josie Schuenck – Vento e Mulher do Cais

Jô Valentino – Mulher do Cais

Manon Ribeiro – Mulher do Cais

Rodolfo Valentino – Vento, Boca de Ouro e Clown

Yasmim Cordeiro - Vento, Militar, Performer e Clown

Caroline Santos- Militar

Renata Castro - Vento, Político e Clown

Jones Rodrigues e Gabriel Ayres – Políticos

Bailarinas Convidadas: Luize Pessanha, Dani Moretti, Joyce Pacheco, Chaiany Fin

Ensemble Vozes Entretom: Ana Moraes, Andréa Lisboa, André Nunes, Chris Barros, Elias Souza, Elisa Figueiredo, Gabriel Ayres, Jô Souza, João Valentino, Jones Rodrigues, Josie Schuenck, Luh Ribeiro, Manon Ribeiro, Marcus Ferreira, Rebeca Cantarino, Silmara Lemes e Silvana Pinto.

Confira o programa de 'O Incrível e Fabuloso Destino da Emart - A Criação de Maria'

O Centro Cultural Rinha das Artes está localizado na rua Dr. Júlio Olivier, 633.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://wechannel.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp