20/10/2023 às 21h20min - Atualizada em 20/10/2023 às 21h20min

Em primeira fala pública após cirurgias, Lula diz que crianças não têm culpa de 'terrorismo' do Hamas: 'Não é possível tanta insanidade'

Presidente participou, por videoconferência, da cerimônia de comemoração aos 20 anos do programa Bolsa Família. Também afirmou que voltará a despachar do Palácio do Planalto na próxima semana.


O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) voltou a comentar nesta sexta-feira (20) o conflito entre Israel e Hamas e fez um novo apelo às crianças atingidas pelas guerras. Segundo o presidente, as crianças não têm culpa do "terrorismo" do Hamas

Lula deu a declaração na primeira fala pública desde que fez cirurgias no quadril e nas pálpebras, em setembro. Ele participou, por videoconferência, da cerimônia de comemoração dos 20 anos do programa Bolsa Família.

"Em nome das crianças vivas do nosso país, graças aos programas de inclusão social, eu queria prestar solidariedade às crianças que já morreram na guerra da Rússia e da Ucrânia e que estão morrendo agora nessa luta insana entre o Hamas e o Estado de Israel", disse.

 

"Não é possível. Não é possível tanta irracionalidade. Não é possível tanta insanidade. Que as pessoas façam uma guerra tendo em conta que as pessoas que estão morrendo são mulheres, são pessoas idosas, são crianças que não estão tendo sequer o direito de viver", continuou.

 

Além de criticar os atos do grupo terrorista Hamas, Lula também citou as crianças palestinas mortas na Faixa de Gaza, e classificou a reação de Israel aos ataques como "insana".

"E hoje quando o programa Bolsa Família completa 20 anos, eu fico lembrando que 1,5 mil crianças já morreram na Faixa de Gaza. 1, 5 mil crianças. Que não pediram para o Hamas fazer o ato de loucura que fez, de terrorismo, atacando Israel. Mas não também pediram para que Israel reagisse de forma insana e matasse eles, exatamente aqueles que não têm nada a ver com a guerra", afirmou.

 

Retorno ao Planalto

 

Durante o discurso, Lula também disse que deve voltar a despachar do Palácio do Planalto na próxima semana.

Desde que fez a cirurgia, o presidente tem trabalhado do Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência da República, e feito reuniões por vídeo.

"Uma coisa para você perceber que a semana que vem eu já vou voltar ao Palácio do Planalto. Eu já estou levantando sozinho e estou ficando em pé. O Mano Menezes já me chamou para voltar a jogar no Corinthians. O Diniz está pensando em me chamar para a Seleção", brincou o presidente.

 

Bolsa Família

 

Participaram da cerimônia desta sexta os ministros do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome, Wellington Dias; do Meio Ambiente, Marina Silva; do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar, Paulo Teixeira; a presidente da Caixa, Rita Serrano, entre outros.

A participação do presidente Lula foi precedida por falas de autoridades do governo e de uma ex-beneficiária do Bolsa Família.

Raquel Lima Clemente falou sobre o impacto do programa na sua história de vida e formação acadêmica. "Eu já precisei do Bolsa Família, hoje não preciso mais. Precisamos batalhar pelo o que a gente quer, mas não negue sua raiz, não esqueça da onde você veio."

Durante o evento, ainda foram entregues placas de comemoração pelos 20 anos do programa a servidores ligados à execução do projeto.

A presidente da Caixa Econômica, Rita Serrano, destacou que o aumento dos beneficiários do Bolsa Família mostra o compromisso do governo com a população, especialmente a mais vulnerável.

"Com a transferência de renda do programa isso contribui para a economia do país no valor médio de R$14 bilhões ao mês. O programa Bolsa Família é grandioso em todos os seus números hoje", disse.

 

Linha da pobreza

 

Mais de 3 milhões de famílias beneficiárias do Bolsa Família saíram da linha da pobreza após o início do novo modelo, em março de 2023. Agora, quase 92% das famílias que fazem parte do programa estão fora da faixa, o melhor número da história.

O número de famílias com crianças de zero a seis anos fora da linha da pobreza também cresceu, agora são 84%. O novo modelo estabeleceu o valor mínimo de 142 reais por pessoa, além dos benefícios voltados para crianças, adolescentes e gestantes.

 

Condições

 

Mais de 300 mil famílias que fazem parte do Programa Bolsa Família foram advertidas em relação ao não cumprimento das condicionalidades. Dessas, mais de 170 mil tiveram o benefício bloqueado por 30 dias.

Para receber o benefício, as famílias devem cumprir compromissos com a saúde e a educação, principalmente das crianças, como:

 

  • Vacinação de acordo com o calendário anual;
  • acompanhamento da nutrição de crianças menores que 7 anos;
  • frequência escolar;
  • acompanhamento pré-natal, entre outros.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://wechannel.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp