11/10/2023 às 13h44min - Atualizada em 11/10/2023 às 13h44min

Comandante militar do Hamas, Mohammed Deif arquitetou o massacre de 1.200 israelenses e a tomada de 150 reféns

Conhecido como 'o gato de nove vidas', chefe das Brigadas Al-Qassam sobreviveu a pelo menos cinco tentativas de assassinato e é um dos principais alvos de Israel


O comandante do braço militar do Hamas é avesso à exposição pública e ao uso de celulares ou de qualquer tipo de comunicação que possa localizá-lo. Talvez por essa razão, ele tenha sobrevivido a pelo menos cinco tentativas de assassinato por parte de Israel e seja conhecido como “o gato de nove vidas”.

Chefe das Brigadas al-Qassam e segundo na hierarquia do Hamas na Faixa de Gaza, Mohammed Deif, de 58 anos, vive na sombra, mas atuou como o arquiteto militar do massacre de 1.200 mortos, que abala desde sábado passado os alicerces do governo israelense e de seus serviços de inteligência.

 

É dele a voz que conclamou os terroristas que se infiltraram em território israelense, assim como os palestinos que vivem na Cisjordânia em Jerusalém Oriental, a agirem com violência: “Este é o seu dia para fazer o inimigo compreender que o seu tempo terminou".

Pouquíssimas imagens são conhecidas do chefe militar do Hamas. A que mais circula é uma foto desbotada da época de sua prisão em Israel, em 1989, por 16 meses. As tentativas de assassinato lhe valeram graves ferimentos, que não o impediram de voltar ao comando. Ele move-se em uma cadeira de rodas, perdeu um olho, um braço e uma perna, segundo autoridades de Israel.

 

Nas últimas décadas, a caçada a Deif tornou-se uma obsessão para os israelenses. Nesta quarta-feira, o Hamas informou que a casa da família de seu comandante militar, no Sul da Faixa da Gaza, foi atingida por bombardeios aéreos, que teriam matado o pai, o irmão e pelo menos dois outros parentes de Deif.
 

A busca incessante ao dirigente do Hamas se justifica pelas dezenas de atentados terroristas mortíferos cometidos em Israel e que são atribuídos a ele. Na década de 1990 fabricou foguetes disparados de Gaza e, nos anos seguintes, mandou homens-bomba para as cidades israelenses.

Deif comanda os seis batalhões das Brigadas al-Qassam, que têm pelotões distribuídos por toda a Faixa de Gaza, e arquitetou a construção de túneis que fazem escoar mercadorias e armamentos para o território palestino, e o treinamento militar de guerrilheiros com a ajuda do Irã e da Síria.

Seu paradeiro é desconhecido, mas sabe-se que, por razões de segurança, ele muda diariamente de esconderijo. Deif perdeu a mulher Wadad al-Asfour, o filho de sete meses e a filha de 3 anos num ataque de Israel 2014 ao edifício em que moravam, no bairro de Sheikh Radwan, em Gaza.

Durante o funeral, seu sogro contou que havia visto o genro apenas uma vez, quando ele pediu a mão de Wadad em casamento, sete anos antes. Apenas um círculo muito restrito de dirigentes do Hamas tem acesso a Deif e ajuda a cultuar o mistério em torno de sua figura solitária.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://wechannel.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp