30/03/2023 às 17h40min - Atualizada em 31/03/2023 às 06h01min

Última enfermeira da Força Expedicionária Brasileira morre aos 105 anos

Nascida no Rio, Virgínia foi a última enfermeira que esteve em solo italiano durante a Segunda Guerra Mundial.

G1 - REGIÃO DOS LAGOS
https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/2023/03/30/ultima-enfermeira-da-forca-expedicionaria-brasileira-morre-aos-105-anos.ghtml

Nascida no Rio, Virgínia foi a última enfermeira que esteve em solo italiano durante a Segunda Guerra Mundial. Virgínia Maria de Niemeyer Portocarrero era a última enfermeira brasileira da Segunda Guerra viva
Divulgação
O Comando Militar do Leste comunicou nesta quinta-feira (30) a morte da última enfermeira que participou da Força Expedicionária Brasileira (FEB), Virgínia Maria de Niemeyer Portocarrero, ocorrida na quarta-feira. Ela morreu de causas naturais em Araruama, na Região dos Lagos.
"Nascida na cidade do Rio de Janeiro, em 1917, ela escolheu uma vida diferente da maioria das jovens de sua época, dedicando-se a zelar pela vida e a saúde de outros jovens brasileiros feridos no campo de batalha durante a Segunda Guerra Mundial", diz o comunicado do CML.
Segundo o CML, durante a Segunda Guerra Mundial, Virgínia Portocarrero apresentou-se voluntariamente para a FEB, na Diretoria de Saúde do Exército, no prédio do então Ministério de Guerra, hoje Palácio Duque de Caxias, no Centro do Rio de Janeiro.
Realizou, então, o Curso de Emergência de Enfermeiras da Reserva do Exército, de janeiro a abril de 1944, sendo convocada como Enfermeira de 3ª Classe. Em junho de 1944, seguiu de avião para a Itália, vindo a servir nos hospitais norte-americanos, na Seção brasileira. Em agosto, por determinação do Comandante da FEB, junto com as demais companheiras enfermeiras, foi classificada no posto de 2º tenente.
Durante seu serviço na guerra, Virginia Portocarrero foi uma das cinco enfermeiras precursoras no serviço e a última que esteve em solo italiano na Segunda Guerra. "Ela cuidou dos soldados feridos com muito zelo e responsabilidade, tratando-lhes o físico e o moral, e transmitindo-lhes paz e conforto, apesar do sofrimento que testemunhou", escreveu o Exército em comunicado.
Virgínia Maria de Niemeyer Portocarrero com outras militares
Divulgação
Por sua participação na Segunda Guerra Mundial, ela recebeu a Medalha de Campanha e a Medalha de Guerra.
Após a guerra, Virginia foi licenciada do Serviço Ativo e retornou à Prefeitura do Distrito Federal, onde serviu até 1957. Neste ano, por dispositivo legal, foi convocada para o Serviço Ativo do Exército, retornando no posto de 2º tenente e classificada na Policlínica Central do Exército. Em 1962, foi promovida ao posto de 1º tenente Enfermeira. Em 1963, deixou o Serviço Ativo, quando foi promovida a capitão, ingressando na Reserva de 1ª Classe.
"A história de Virginia Portocarrero é um exemplo de dedicação e coragem, sua memória será sempre lembrada com respeito e gratidão pelo Exército e pelo povo brasileiro", finalizou o Comando Militar do Leste.
Virginia será velada e enterrada no Mausoléu da FEB, no Cemitério São João Batista, em Botafogo. O horário não foi divulgado pela família.
Virgínia Portocarrero durante a Segunda Guerra
Divulgação
Virgínia Maria de Niemeyer Portocarrero
Divulgação
Montagem do CML sobre Virgínia Maria de Niemeyer Portocarrero
Divulgação

Fonte: https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/2023/03/30/ultima-enfermeira-da-forca-expedicionaria-brasileira-morre-aos-105-anos.ghtml
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://wechannel.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp